Meu encontro com Che

Hoje tive um encontro com Che. Com Ernesto, com Guevara, com o Comandante, ou seja lá como quiserem chamá-lo. Nosso encontro foi em silêncio, pois não havia nada a ser dito, apenas sentido. Che foi um homem incrível. São muitas as histórias que já ouvi sobre ele. Mas todas as que ouvi nessa terra dão conta de uma mesma essência: Che era um lutador em prol do povo. Lutava arduamente para que hoje todos pudessem ser livres...


Sim! As pessoas aqui tem liberdade. Mas têm, sobretudo, saúde, educação, oportunidades. Mas, não é sobre isso que eu quero falar. Quero falar do meu encontro com Che! É a primeira vez que venho a Santa Clara sozinha. E acho que foi a melhor maneira de percorrer a cidade: sem pressa, em silêncio, observando os detalhes de suas barulhentas e movimentadas ruas. Ruídos que pouco a pouco vão sumindo e dando espaço a uma energia contagiante de um lugar que tem muita história para contar. Ah, se as paredes e pedras falassem, quanta coisa nos diriam...

Seja em seus momentos de luta (Trem Blindado) ou onde repousam suas cinzas (Maosoléu del Che), Guevara está por toda parte. Sua essência, sua energia, sua luta, faz-se presente em cada passo que dou por Santa Clara. Gracias, Comandante, por permitir que eu te sinta tão perto. Gracias por tua luta, por teus ensinamentos e pelo silêncio compartilhado no dia de hoje. Che vive! *Escrito por Raquel Verardi Gehl em fevereiro de 2019, em Santa Clara.