Roteiro Hemingway e Cuba: um caso de amor

Onze anos separam a data do primeiro desembarque de Ernest Hemingway em Cuba e sua mudança para ilha. Onze anos, esse foi o tempo necessário para o escritor americano se apaixonar pela ilha onde escreveu um de seus mais célebres romances: El Viejo y el mar! Sobre o livro, falarei mais para frente, em um post especial sobre Cojímar, o povoado de pescadores onde o escritor conheceu Gregório, o "velho" que o inspirou a criar o personagem Santiago. Mas, afinal, o que Hemingway fazia em Havana que fez com que ele se apaixonasse por Cuba?

São muitas as lendas que giram em torno de Hemingway, tido como um dos melhores e principais escritores do século XX. E, ao que tudo indica, ao menos uma delas é verdade: Ernest era amante das bebidas e das mulheres. São diversas as fotos do escritor ao lado de, como se diz em Cuba, seus dois amores.



Como todo boêmio, Ernest Hemingway era um apaixonado pelos bares e pela música cubana. E foi em Habana Vieja que ele criou seus redutos. Mais especificamente nos bares Floridita e La Bodeguita del Medio onde, ainda hoje, suas fotos, assinaturas e lembranças estão espalhadas.


Muita gente pergunta se Floridita e La Bodeguida, de fato, possuem os melhores daiquiris e mojitos, respectivamente. E minha resposta mais sincera é não! Certamente hoje você encontra daiquiris e mojitos mais bem feitos e baratos pela ilha.


Mas, sabe o que torna especial beber nesses lugares? A lembrança que Hemingway esteva, exatamente ali, há mais de 60 anos! Até porque, segundo os garçons mais antigos, quem servia o escritor naquela época garantia: a dose de rum era sempre extra. Algo que nós, reles mortais, não recebemos ao tomar os drinks clássicos!


Após degustar as bebidas favoritas de Hemingway, uma boa pedida é conhecer o Hotel Ambos Mundos que foi, durante onze anos, a morada do escritor em suas frequentes visitas a Cuba. Seu quarto virou uma espécie de santurário, que permanece inalterado e aberto à visitação.


Nesse momento o hotel está fechado, assim como muitos outros de Habana Vieja. Por conta da pandemia muitos hotéis foram temporariamente fechados e outros tantos estão passando por reformas.


E, se desejar fazer um tour completo e conhecer a casa oficial de Ernest Hemingway a partir de 1940, vá até a Finca Vigia, sua residência até 1961, ano de sua morte.


A casa está localizada a cerca de 15 km do centro de Havana. Assim nomeada por estar em uma colina onde ficava um posto de vigilância do exército espanhol no início do século XIX, a propriedade possui quatro hectares e pode ser considerada uma pequena reserva ecológica.


A foto abaixo é do escritório, onde Hemingway tinha total privacidade para escrever, pois foi construído no alto e fora da casa, em uma torre. O local oferece uma bonita vista da região!



A Fica Vigia, bem como todos os objetos pessoais de Hemingway, foi doada ao governo cubano por Mary Walsh, viúva do escritor, respeitando o último desejo dele. A propriedade é composta pela casa, por a torre no topo da colina onde o Ernest criava suas obras, uma piscina e o iate Pilar. A casa está totalmente mobiliada e com os objetos pessoais de Hemingway, o que faz com que o visitante realmente sinta a presença do escritor.


Curiosidade: em frente ao navio Pilar estão os túmulos feitos pelo escritor para enterrar os quatro cães da família!


Dica: não esqueça o repelente! Como está em meio à mata nativa, há muitos mosquitos no local!


Para chegar até a Finca Vigía o melhor e mais rápido é fazer como fazia, quase que diariamente, o escritor americano: ser levado por um motorista particular. Além do valor ser mais acessível do que pagar táxi de ida e volta, você ainda pode conhecer o povoado de São Francisco de Paula onde a casa está localizada. Se desejar, faça contato conosco que buscamos um motorista para você!


Gosta de Ernest Hemingway? Faça uma imersão no mundo "habanero" do escritor e volte pra contar o que achou!


Texto e imagens: Raquel Verardi Gehl

Imagem quarto Hemingway no hotel Ambos Mundos: Ecured

Escrito em 4 de julho de 2022